14/11/2019

O ano de 2019 é marcante, entretanto é necessário que cada brasileiro dedique um tempo para realizar um processo minucioso de reflexão sobre os últimos acontecimentos que são noticiados nos jornais televisivos e nos sites que publicam novos fatos a cada momento.

Quanto à Independência do Brasil, este ano comemorou os seus 197 anos, mas afinal a nação é verdadeiramente livre? O país é rico em matéria-prima: nossas melhores frutas, nas suas mais belas cores e nos seus mais deliciosos sabores, elas são do povo brasileiro? Ainda pergunto: e o nosso petróleo de quem é? Hoje é vendido que o produto bruto aos estrangeiros a preço de banana. A soja, o arroz, o milho, as carnes, não servem para acabar com a fome no mundo, nem dos brasileiros, além de representar a opressão do sistema, pois determina o acesso a esses produtos somente àqueles têm dinheiro, e não ficam disponíveis em nossos comércios a um valor para quem vive em nossa pátria possam comprar e comer.

Há 31 anos, o Brasil se encontrou, novamente, com a democracia. Um período de avanços, participação popular, valorização da pessoa; crianças e adolescentes foram declarados prioridades absolutas; idosos e pessoas com deficiência tiveram direitos a tratamentos mais humanos e novas oportunidades, e os jovens não foram mais vistos como delinquentes ou em “situação irregular” como em outros períodos violentos e repressivos do nosso país. A Constituição Federal, ou a constituição cidadã, foi um marco à reestruturação do país.

Em 1889, há 130 anos, um golpe pôs fim ao regime imperial que declarou Marechal Deodoro primeiro presidente do país e o Brasil tornou-se uma República. Do latim: coisa pública, que remete a ideia de que o país pertence a um grupo muito importante: o povo.

Se unir esses três grandes eventos, pode-se chegar a uma conclusão: que o verdadeiro dono do país mora aqui de aluguel. A independência é de fachada, a democracia que era para ser consolidada está ameaçada e a República que tem como função primordial dedicar-se ao povo e com o povo, é colocada nas mãos dos poderosos estrangeiros. O brasileiro, que é o protagonista da nossa história, acabou ficando de lado com tantos interesses e medidas retrógradas, saiu das contas do governo, seus direitos foram ameaçados e extintos.

Espero que no momento oportuno e breve, os jovens  assumam os seus lugares de destaque, o homem e a mulher desse país vão entender o verdadeiro significado de “povo”, e de fato, todos serão os verdadeiros heróis e participantes de uma República Livre, Democrática e Justa. Deixarão de locatários e viverão nessa terra linda, amada, rica e generosa, cujos são os reais proprietários. 

Que Deus abençoe a nossa nação!

Leandro Mendes
www.facebook.com/leandro.mendes.79219

A publicação deste colunista não reflete, necessariamente, a opinião do portal Nosso Paraná.




Deixe o seu comentário