O tema “Construindo Lares Sem Violência” fez parte dos vídeos que participaram do concurso de curta metragem
REPRODUÇÃO

O projeto Educação pela Paz- Construindo Lares Sem Violência- foi encerrado nesta quinta-feira, dia 28 com a participação de autoridades e também dos alunos das quatro escolas que fizeram parte da iniciativa.

A busca pela prevenção da violência doméstica foi uma proposta do Tribunal de Justiça, por meio da 1ª Vara Criminal de Paranaguá com a Dra Cynthia Graeff, encampado pela Prefeitura de Paranaguá por meio das secretarias de Educação e de Comunicação e efetivado usando ferramentas da educomunicação.

O prefeito de Paranaguá, Marcelo Roque, parabenizou a todos os envolvidos no processo e lembrou que o Poder Executivo lançou o aplicativo de celular com o botão do pânico e a Patrulha Maria da Penha. Hoje um não caminha sem o outro, pois o aplicativo acelera o atendimento prestado pelos aguardas que atuam na patrulha. “Esta iniciativa se tornará um projeto de lei para que Paranaguá tenha cidadãos mais conscientes do respeito e da prevenção à violência doméstica. Com certeza, esta conscientização reduzirá o uso do aplicativo”.

REPRODUÇÃO

A transformação da iniciativa em projeto de lei segue o que já aconteceu com o projeto É Doando que se Vive, onde é estimulada a doação de órgãos. “A equipe da Secretaria de Comunicação acompanha as ações e ajuda nos direcionamentos dos trabalhos para que as crianças também aprendam a usar bem as ferramentas disponibilizadas pela internet”, disse a secretária de Comunicação, Camila Roque.

“Enquanto o problema entre homem e mulher acontece apenas numa casa, trata-se de uma situação particular, mas quando uma a cada quatro mulheres é vítima de violência doméstica, trata-se de um problema social que envolve todo uma comunidade e por isso é preciso combater essa violência”, destacou a Juíza Criminal. A única forma de não chegar no crime é a prevenção. Queremos um futuro melhor com lares sem violência e o trabalho com as crianças é fundamental, pois elas formarão suas famílias e serão pais e mães mais conscientes”, completou.

A secretária de Educação Vandecy Dutra agradeceu todos os diretores e professores envolvidos no processo. “Agradeço também ao setor de educomunicação que tornou o projeto uma realidade”, lembrou. “O projeto quebra um ciclo que muitas famílias vivem e ajuda às crianças a se conscientizarem da necessidade do respeito”, enfatizou.

A representante do Conselho da Mulher destacou que o respeito à mulher precisa existir e que, nas escolas, por meio da educação poderemos alcançar bons resultados nesta luta contra a violência domestica.

Curtas

O dia também foi de resultado. As escolas discutiram sobre a violência doméstica, nas salas de aula das crianças dos 5º anos. Os alunos idealizaram vídeos que foram parar nas redes sociais e no facebook da Semedi. E o vídeo com mais curtida recebeu um prêmio.

O anúncio da escola vencedora aconteceu durante o evento. A diretora da Escola Municipal Graciela Almada Diaz, que fica na Ilha dos Valadares, recebeu um tablete doado pela Juíza e as demais escolas ganharam um selo- em forma de azulejo com a marca do projeto- e certificado.

SECOM




Deixe o seu comentário