A campanha de imunização termina em 5 de junho e até esta quinta-feira (28) a cobertura vacinal no Estado é de 75%. Uma das recomendações é abrir unidades de saúde no sábado (30) exclusivamente para a vacinação de crianças.

A poucos dias do final da campanha nacional de vacinação contra a gripe, a Secretaria de Estado da Saúde alerta os municípios para que promovam estratégias de chamamento do público-alvo que ainda não recebeu a dose. A campanha termina em 5 de junho e até esta quinta-feira (28) a cobertura vacinal no Estado é de 75%.            

GRUPOS – O público estabelecido para esta fase da campanha abrange gestantes, puérperas, crianças de 6 meses a menores de 6 anos e adultos de 55 a 59 anos.

“A cobertura vacinal destes grupos ainda está muito abaixo do preconizado. Distribuímos 4,054 milhões de doses para um público estimado em 3,8 milhões de pessoas mas, nosso levantamento de hoje, com 75% de cobertura vacinal, indica que milhares ainda precisam ser imunizadas”, avalia a diretora da Divisão de Atenção e Vigilância em Saúde, Maria Goretti David Lopes. “Por isso nossa orientação para novas estratégias de vacinação nesta reta final de campanha”, acrescentou a diretora.

Grupos vacinados anteriormente, como idosos, trabalhadores da área da saúde e povos indígenas, superaram a meta, com cobertura acima de 90%.

ORIENTAÇÃO – Entre as estratégias a serem adotadas pelas secretarias municipais de Saúde, a Divisão de Vigilância do Programa de Imunização da secretaria estadual sugere a abertura das unidades neste sábado (30) para imunizar exclusivamente as crianças, o que facilitaria para os pais levarem os filhos, além do sistema de drive thru na primeira semana de junho para as gestantes, puérperas e adultos de 55 a 59 anos

A secretaria estadual reforça ainda aos municípios a importância de notificar e registrar as doses aplicadas junto ao Sistema de Informações do Programa Nacional de Imunizações, do Ministério da Saúde. O registro é obrigatório e deve ser feito assim que a dose for aplicada, como forma de consolidar a ação e confirmar a cobertura vacinal do Estado.

AEN-PR



Deixe o seu comentário