Sem informações quanto aos procedimentos utilizados no momento do exame, tipo de teste e registro das notificações, o mesmo não pode ser considerado como eficaz

Conforme a Vigilância Sanitária, os testes para detecção de Covid-19 devem seguir critérios estabelecidos pelo Ministério da Saúde e Anvisa para segurança do paciente e eficácia nos resultados. 

No último dia 6, a equipe de uma farmácia realizou a comercialização e testes rápidos contra a Covid-19, na Ilha do Mel em local aberto, fora de seu estabelecimento comercial, sem qualquer autorização ou o informe aos órgãos de saúde pública de Paranaguá. 

A Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde já entrou em contato com a referida farmácia e está tomando as medidas cabíveis nessa situação.

"A testagem deve seguir as normas e orientações da Vigilância Sanitária. Sem o aval do órgão, não temos como saber a procedência dos testes, o registro de casos confirmados, entre outras questões importantes para a saúde do cidadão", destaca a superintendente de Vigilância em Saúde, Marianne Gomes. 

O órgão alerta ainda que sem sua autorização, informações quanto aos procedimentos utilizados no momento do exame, tipo de teste e registro das notificações, o mesmo não pode ser considerado como eficaz e aquele que passou pelo exame precisará de nova realização de coleta para confirmação ou descarte da doença.

A Secretaria Municipal de Saúde orienta que as pessoas que pagaram para a realização da testagem nesse episódio e se sentirem lesadas poderão buscar o Procon e o Juizado Especial para as medidas cabíveis.

Jornalista: Flávia Adans/SECOM



Informe Publicitário


Publicidade

Informe Publicitário


Deixe o seu comentário