Primeiro lote de um total de 440 veículos partiu nesta quinta-feira (15), com destino ao Congo, no continente africano. Com isso, o porto paranaense reafirma sua posição como principal porta de saída de ônibus e micro-ônibus produzidos no Brasil.

O Porto de Paranaguá embarcou nesta quinta-feira (15) um lote de 110 ônibus com destino ao Porto de Boma, na República Democrática do Congo, na África. Os veículos fazem parte de uma remessa de 440 coletivos que serão exportados para o continente. Com isso, o porto paranaense reafirma sua posição como principal porta de saída de ônibus e micro-ônibus produzidos no Brasil.

Segundo o diretor de Operações Portuárias, Luiz Teixeira da Silva Júnior, a escolha por Paranaguá considera a localização estratégica, eficiência de embarque e mão de obra qualificada. “Os portos do Paraná têm linhas regulares, otimizando os custos de transporte. Além disso, o serviço prestado pelos trabalhadores avulsos é reconhecido pela alta qualidade e baixo índice de avaria, fator importante no manuseio de equipamentos com alto valor agregado”, diz.

OPERAÇÃO - O navio Maestro Universe foi especialmente fretado para a operação e atracou no Porto Dom Pedro II por volta das 5h da manhã. “Essa é uma movimentação grande, diferente pela quantidade de ônibus. Ao todo, serão 440 veículos, divididos em quatro embarques de 110 ônibus cada”, explica Aldemar Marques Moreira, gerente de Operações da Marcon, empresa responsável pela movimentação dos carros em parceria com a Wasa, que faz a exportação.

“Outro diferencial é o tamanho dos veículos, que exigem muito apoio. Como são carros grandes, ocupam bastante espaço e dependem de uma logística especial para acomodar no navio. Mas a operação é muito rápida, em torno de cinco horas”, acrescenta.

Por isso, o cuidado no manejo dos ônibus é fundamental. O porto paranaense tem um dos menores índices de avarias do Brasil.

CONTINUIDADE - A sequência de embarque dos outros 330 ônibus está prevista para dezembro, janeiro e fevereiro. Os veículos foram encarroçados pela Marcopolo, de Caxias do Sul (RS), sobre chassis bases da Volvo, que são fabricados em Curitiba.

Todos eles já são preparados para enfrentamento da pandemia, com isolamento especial para os motoristas, chamado de BioSafe.

Esta é a segunda remessa de ônibus para o continente africano este ano. Em julho foram 130 ônibus para Angola, também via Paranaguá com operação conjunta da Marcon e Wasa.

AEN-PR





Deixe o seu comentário