O delegado Max Dias Lemos foi denunciado criminalmente pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR)

O delegado Max Dias Lemos, afastado da delegacia de Matinhos e preso em janeiro deste ano durante a Operação Atrox, foi denunciado criminalmente pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR) na segunda-feira (7), suspeito da prática dos crimes de peculato e tráfico de drogas.

 De acordo com o MP-PR, o delegado teria se apropriado indevidamente de cerca de 417 gramas de cocaína, apreendida em uma operação policial realizada em Matinhos em julho de 2017, para revender a mercadoria. O crime foi descoberto após buscas na delegacia e na residência de Lemos.

O delegado foi preso, porém, somente em janeiro de 2018, durante a Operação Atrox, conduzida pela 2ª Promotoria de Justiça de Ibaiti, que apurava tráfico de drogas e corrupção. O MP-PR afirma que as investigações, na época, apontam que o suspeito teria liberado ilegalmente traficantes que haviam sido presos enquanto transportavam drogas de Ibaiti para Matinhos.Além disso, Lemos teria adulterado peças de inquérito policial, mediante o recebimento de propina.

A denúncia do Ministério Público pede a prisão preventiva do delegado, solto recentemente e monitorado por tornozeleira eletrônica, e afirma que, mesmo preso, verificou-se o desaparecimento de drogas apreendidas em inquéritos conduzidos por Lemos da Delegacia de Polícia Civil de Matinhos.

Colaboração MP-PR




Deixe o seu comentário