Quem acompanhou nesta semana, com o mínimo de atenção, as movimentações das peças no tabuleiro do xadrez do grupo político que foi derrotado nas últimas eleições (agora quase todos entrelaçados), sabe muito bem quem é quem neste montante. 

A fotografia ficou muito bem revelada. É o mais do mesmo que sempre comentamos em nosso editoriais. 

Tem o pelotão da ala esportiva e o outro da ala midiática com seu discurso oportunista que eles mesmos curtem, comentam para saciar seus egos. Não passa de encenação para uma determinada plateia. Na substância do que é essencial, não existe nada que sustente essas manifestações.  

Um dos seus atores foi detido no último dia 22 e encaminhado para a Pires Pardinho. Entretanto teve o cuidado de fazer alguns depósitos antes para que não passasse a noite atrás das grades. 
Soldado deste pelotão que mergulhou tão fundo que não alcança mais a superfície da lucidez. Um mero boquirroto que é financiado pelos ‘articuladores’ do circo.

O time esportivo que o outro pelotão administra segue cada vez mais em decadência em função da desmoralização de sua diretoria.

Os desastres mais recentes são: Jogadores com salários atrasados, derrotas seguidas com placares elásticos, a mesma luta para se manter na primeira divisão,  o ‘presidente’ fugindo da função para encenar uma briga com torcedor e se tudo isso não bastasse, agora acusam atletas de esquema com apostas, como se isso retirasse a responsabilidade de quem os contratou. E quem contratou? Será que foi o atual presidente ou o ex-presidente? 

Convidamos por várias vezes essa diretoria ‘esportiva’ para uma entrevista ao vivo e nunca aceitaram, talvez por medo que a entrevista se transforme num debate de ideias e para isso é preciso ter ideias, argumentos e soluções. 

Infelizmente o assunto é o mesmo nos últimos anos. 



Seme Said é diretor do portal Nosso Paraná
https://www.facebook.com/semesaid





Deixe o seu comentário