Departamento de Epidemiologia informa que não esta havendo falta nas unidades. Governo do Estado é responsável pelo repasse das doses, que são fornecidas pela União.

Mesmo com o recesso nas repartições públicas municipais no período entre o Natal e o Reveillon as unidades de saúde estão abertas, inclusive em horário estendido. A procura por vacinas é considerada alta nestes dias, principalmente porque há ainda registro de moradores de outras cidades do Litoral e até de veranistas que escolheram a região para passar a temporada. 

O movimento nas unidades de saúde em busca de doses aumentou consideravelmente nas últimas semanas também por conta da lei estadual que condicionou a realização de matrículas nas redes municipal, estadual e privada à apresentação da carteira de vacinação em dia. "Não há falta de doses. Entretanto, nosso estoque está reduzido. As unidades recebem as doses conforme a necessidade", explica Eliniz Mendes, superintendente de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde. 

O Ministério da Saúde enviou nota informativa válida para novembro e dezembro relatando que o envio de doses se daria em conformidade com as cotas atingidas, em face do recebimento que estava tendo por parte do laboratório responsável pela produção da dose contra a meningite. O documento informa ainda a restrição no envio de doses contra o HPV. 

A secretária municipal de Saúde, Ligia Regina de Campos Cordeiro, comenta que o Departamento de Epidemiologia está tomando todas as providências para que a populacao seja vacinada. Mas pondera que pode haver falta. "Este é um momento atípico porque nunca houve tanta procura por vacinação. Como este movimento maior nao tinha sido planejado pelas autoridades federais, e nem tinha como prever, pode haver algum problema pontual em relação ao abastecimento de doses. Mas, por determinação do nosso prefeito Marcelo Roque, estamos fazendo tudo para solucionar essa questão e bem atender nossos usuários", declarou a secretária.

SECOM


Deixe o seu comentário