Procura é alta nos postos de saúde devido à necessidade de atualização da carteira para matricular alunos até 18 anos nas redes municipal, estadual e particular. Fenômeno ocorre porque muitos pais não vacinavam os filhos há anos.

A exigência da atualização da carteira de vacinação para matricular alunos até 18 anos nas escolas municipais, estaduais e da rede particular, atendendo ao que determina a lei estadual 19.534/2018, provocou uma verdadeira correria às unidades básicas de saúde de Paranaguá nos últimos dias. Como está em andamento o período para matrículas em estabelecimentos que oferecem educação infantil e ensinos fundamental e médio, muitos se viram obrigados a vacinar seus filhos. 

Com a alta procura os estoques de quatro vacinas se esgotaram nas unidades de saúde de Paranaguá. Estão em falta: menigocócica (que previne a meningite C), DTP (difteria, tétano e coqueluche), varicela e HPV. A previsão é que as doses sejam distribuídas pelo Ministério da Saúde, por meio da Secretaria de Estado da Saúde, entre os dias 5 e 6 de dezembro. 

A informação de que as doses serão distribuídas para Paranaguá até 6 de dezembro foi confirmada na tarde desta quinta-feira (29) pela diretora da 1.ª Regional de Saúde, Merieli Zanicoski. “É um problema que está sendo encontrado em todo o Brasil e por isso não conseguimos repor os estoques, porque o Ministério da Saúde não nos repassou, porque os laboratórios também não esperavam essa demanda maior”, justificou a diretora.

A secretária municipal de Saúde, Lígia Regina de Campos Cordeiro, afirma que não havia como planejar a procura tão alta por vacinas nos últimos dias. “Temos em nossas unidades um fluxo que não é muito alto de pessoas que procuram vacinar seus filhos, mas esse fenômeno está assustando nossa equipe. No caso da menigocócica, por exemplo, fazemos uma média de 15 a 20 doses por semana, mas já passamos de 3 mil nos últimos dias”, revela a secretária. 

A procura para a vacina que previne o HPV está sendo ainda maior. A estimativa da equipe do Departamento de Epidemiologia é que foram cerca de 4 mil doses aplicadas nos últimos dias. Para a DTP foram vacinadas cerca de 2 mil crianças. “Muitos pais resistiram em aplicar essa vacina em seus filhos, por várias questões, inclusive o preconceito, mas agora estamos tendo uma procura muito boa. Essa lei determinando a atualização da carteira de vacinação mostra que muitos pais estavam sendo negligentes com relação a um assunto tão importante. Percebemos pais que não vacinavam seus filhos há anos”, justificou a secretária Lígia. 

A enfermeira Andreia Gomes, do Departamento de Epidemiologia da Secretaria Municipal de Saúde, também comemora a exigência da carteira da vacinação em dia para a realização da matrícula escolar. Isso porque foi sempre difícil atingir as metas de vacinação quando não havia a obrigatoriedade. “Muitos pais não levavam a sério a vacinação dos filhos. Agora esta realidade tende a mudar. Assim vamos conseguir atingir as metas que nos são estabelecidas nas campanhas”, comemorou a profissional. 

CERTIDÃO NEGATIVA VACINAL

Como muitos pais não estão conseguindo deixar a carteira de vacinação de seus filhos em dia, por falta do fornecimento das doses pelo Ministério da Saúde, a saída foi emitir uma Certidão Negativa Vacinal. Neste documento, que está sendo emitido pela Secretaria Municipal de Saúde aos pais que procuram as unidades básicas, fica o compromisso de que a situação seja regularizada em 30 dias. 

A diretora de Educação Infantil, Paula da Silva Inácio Pereira, da Secretaria Municipal de Educação, explica que os pais devem apresentar a documentação necessária para realizar a matrícula de seus filhos, porém a confirmação da vaga e entrega do comprovante de matrícula só se dará assim que for apresentada a certidão da Secretaria Municipal de Saúde informando que a vacinação está em dia. “Se esse pai não regularizar essa situação perde-se a vaga e será chamada a próxima criança que estiver na lista de espera”, avisa a diretora.

O período para realização de novas matrículas para as escolas da rede municipal começa dia 3 e segue até 7 de dezembro. O prazo para rematrículas se encerrou no dia 20 de novembro. Na tarde desta quinta-feira a Secretaria de Educação emitiu nota informando que os nomes que não constam no Edital de Chamamento Público de acordo com a Central de Matrículas para vagas na Educação Infantil na rede municipal de Paranaguá, deverão aguardar o segundo chamamento, que será divulgado no dia 10 de dezembro, conforme as vagas a serem preenchidas. 

SECOM




Deixe o seu comentário