De acordo com a Polícia Civil ele usava sites e redes sociais para divulgar os terrenos
Foto: Reprodução Facebook Ilha do Mel FM

Um homem de 31 anos foi preso nesta sexta-feira (2) no estacionamento de um supermercado nas margens da PR-407, na região de Paranaguá. Ele é suspeito de aplicar golpes relacionados a venda de terrenos no litoral e que renderam mais de R$ 100 mil. O homem foi preso quando tentava cometer o crime mais uma vez.

De acordo com a Polícia Civil, ele usava sites e redes sociais para divulgar os terrenos, com indicação de valores abaixo do praticado no mercado. Os interessados nos anúncios procuravam o suspeito e, após a negociação, depositavam cerca de 20% do valor total do terreno na conta bancária dele.

O Ministério Público do Paraná (MPPR) informou que o estelionatário se apresentava como dono dos imóveis e, inclusive, mostrava certidões e outros documentos dos terrenos. O homem alegava que as propriedades eram resultado de uma herança.

Após depositarem o sinal para o negócio, as vítimas do golpe não conseguiam mais contato com o homem. Na tentativa de localizar os terrenos, elas percebiam que as áreas pertenciam a outras pessoas, que não tinham conhecimento da negociação. Oito pessoas procuraram a Delegacia de Pontal do Paraná para registrar o boletim de ocorrência. A Polícia Civil divulgou que o suspeito foi autuado por estelionato.

De acordo com o MPPR, o homem já foi denunciado por estelionato, por meio da Promotoria de Justiça de Pontal do Paraná. O pedido de prisão foi formulado pelo MPPR e cumprido pela Polícia Civil. A partir da localização do suspeito, o MPPR e a Polícia Civil esperam que outras vítimas do golpista apresentem queixa.

O MPPR comunicou ainda que as pessoas interessadas em adquirir uma casa ou um terreno no litoral paranaense devem buscar informações junto ao cartório de registro de imóveis e à prefeitura municipal. Desta forma, é possível verificar se a propriedade existe, se está regular e se quem está vendendo é realmente o proprietário.

Colaboração MPPR e Polícia Civil


Publicidade


Deixe o seu comentário