Vania Rocha afirmou que menino é doente e precisa de tratamento contra dependência química e alcoolismo. Tatuador e comparsa foram presos em São Bernardo do Campo.
Publicidade

Reprodução do Portal G1

A auxiliar de limpeza Vania Rocha, mãe do adolescente que teve a testa tatuada por dois agressores em uma pensão em São Bernardo do Campo, no ABC paulista, disse que o filho foi tratado com crueldade por parte do tatuador Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos, e o vizinho dele, Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos. Eles foram presos em flagrante por tortura nesta sexta-feira (9). “Meu filho não é boi, não é animal. Ele não é bicho.”

Ela está preocupada com a recuperação do filho, que estava desaparecido desde 31 de maio até sofrer a agressão. “A gente precisa tirar isso do rosto dele porque ele não é bicho. Muita gente está julgando ele, mas ninguém conhece a história dele. A única coisa que a gente quer é Justiça.”

Com informações do portal G1




Deixe o seu comentário