Tradição
Paranaguá configura-se uma cidade tradicional e seu povo mantém, em sua grande maioria, o perfil conservador.
A solidez de uma estrutura familiar é fator de grande importância na escolha dos votos em nossa cidade. 

Novos ares, novo prefeito!
A cidade respira, desde o início de 2017, ares de renovação e a esperança de uma cidade que sofreu o abandono, aproximadamente, por 4 anos.
Sim! Paranaguá estava, praticamente, abandonada.
O antecessor de Marcelo Roque foi, possivelmente, o maior erro das articulações políticas desenvolvidas pelo falecido Mário Roque.  
Suponho não ser necessário elucidar ou relembrar o nosso leitor sobre o apático governo Kersten. 
Evidentemente que, parte dos formadores de opinião que aplaudiam e que só falavam bem do ex-prefeito, tinham seus interesses para isso! 

O antes e o depois
Os saudosos Mário Roque e Vicente Elias, efetivamente,  foram os gestores que mudaram a dinâmica da cidade de Paranaguá.
É possível ver claramente como a principal cidade do litoral se transformou ao longo destas gestões citadas. Essa notória pode ser empregada ao atual gestor e seu vice. 

O prefeito de Paranaguá e o seu vice, Arnaldo Maranhão estão nas ruas diariamente acompanhando todas as ações das equipes. A população já consegue perceber o antes e o depois. 

É possível termos a perspectiva que as coisas por aqui estão mudando de verdade. Talvez não tenham conseguido agradar todos e ainda não tiveram tempo para executar grande parte do que foi prometido em campanha, entretanto, estamos no primeiro ano desta gestão.

O Perfil
Marcelo Roque herdou o perfil do seu falecido pai e possivelmente seja esse, preponderantemente, o principal cabo eleitoral em sua vida política. 
Marcelo Roque está sendo, além de popular, um gestor que Pontal do Paraná deixou escapar entre os dedos.  

As fortes críticas da oposição
Os principais derrotados nas últimas eleições, hoje estão no mesmo espectro. 
O enlace desse pessoal é a maior evidência de um NÃO avanço que pretende juntar tudo e todos.

Um dos opositores se mantém no erro, outro resolveu se aliar ao que nunca funcionou. A não concretização do que foi planejado pelos oponentes pode ser observado pelo comportamento agressivo e perseguidor de uma das principais e mais nocivas peças anômalas que a *TV Pinguim possui. Exatamente, aquele que se mantem no emprego porque conhece o obscurantismo da direção e ‘aliados’ e que contribui significativamente para o crescimento daqueles que se opõe.
Esse indivíduo tem se revelado, dia após dia, que não tem estatura moral, ética e intelectual para debater assuntos de interesse popular. Utiliza métodos intimidatórios em seus ataques de rodapé.  

Alguns entram na mesma ravina para fazer parte de um cenário midiático, em sua grande maioria, permeada pelo que há de mais perverso para tentar envenenar a atmosfera social. Um verdadeiro desfile de cinismo apresentado na hora do almoço! 

Marcelo Roque foi a melhor opção? 
A resposta é simples! Basta observar os comportamentos que os três, mais votados, candidatos a prefeito revelaram antes e depois das últimas eleições. 

- Um deles vira notícia e revela um perfil agressivo. Pode ter sido, inclusive, vítima de uma sórdida armação da empresa que o acolheu para tirá-lo do cenário. 

- O outro entrou para a estrutura que duramente criticou em sua campanha. 

- O outro é o prefeito que Paranaguá elegeu! 

Resumindo: 
Um bate na cara e outro se apresenta em uma nova versão na mesma esfera que um dia ajudou a bater. 

Um forte abraço e até a próxima. 

Seme Said é diretor do portal Nosso Paraná
https://www.facebook.com/semesaid 

Sugestão de leitura:
TV PINGUIM! Tem asas e não sabe voar


Publicidade


Deixe o seu comentário