A "geringonça" resistiu, em partes, a severa e implacável ação do tempo.

Acreditar que a dinâmica da "geringonça" se resume a uma combinação de planos mal executados, irresponsabilidades e falsas alianças é o mesmo que teimar em insistir no falho.
É simplista e errado.

Quem esteve à frente da "geringonça" definiu o seu novo padrão de comportamento político.

Em Paranaguá o que foi malfeito, com estrutura frágil e funcionamento precário nos revelou que andou de forma capenga e chegar até aqui, a "geringonça" teve de ser conduzida como uma bicicleta com rodinhas. 

A "geringonça" não teve êxito na saúde, turismo (desastre), limpeza urbana e nem no quesito carnaval. 

Nós cremos que Paranaguá poderá se reestruturar.
Um novo prefeito e uma câmara parcialmente reformatada.
Oxalá deixaremos o status de estragado e mal feito e passaremos para uma visão mais apropriada segundo a ótica do novo prefeito. 

Que o turismo seja efetivamente alavancado e que a saúde ultrapasse o sentido de transformação para uma realidade mais segura. 

A "geringonça" foi uma visão deformada daqueles que um dia a conduziram uma forte estrutura acreditando que estavam num veículo cheio de defeitos e com pneus furados numa mecânica de rodas dentadas atadas com fio de arame. 

Que o novo prefeito consiga mudar as previsões dos catastrofistas e que coloque outra vez a cidade num patamar mais excelente e inovador. 

O que mais esperávamos em 2016 deste governo é o que está para acontecer agora: O seu fim.


Seme Said é diretor do portal Nosso Paraná
https://twitter.com/semesaid


Publicidade


Deixe o seu comentário