A decisão de cunho econômico do Sr. Prefeito, em unir as Secretarias de Esporte, Cultura e Turismo, não foi muito bem aceita de início pelos ativistas e artistas locais.

Logicamente que cada lado tem seu ponto de vista e certamente, ambos procuram o melhor para a categoria e cidade.

Passado algum tempo, se observa que o que tinha “cara de lambança”, não se tornou nenhuma aventura em terreno desconhecido.

Os artistas e ativistas, de uma hora pra outra descobriram que podem muito bem viver sem o Patrocínio Público, mas que dependem, sim, do fomento do Poder Público. Eis a diferença!

As pedras começaram a se encaixar! As benesses que sempre eram feitas em nome do “patrocínio” tiveram que ser revistas, conceitos foram alterados, os patrocinados de sempre, foram em busca de aprimoramento e novos projetos. Mostram os artistas e ativistas uma união que era até então impossível, hoje é realidade. Dos mestres do fandango aos artistas de plantão.  

Muita gente que desde muito esteve à frente das Fundações, hoje mudou de lado no balcão. Estas, vão aprender muito e certamente estão refletindo que quando estiveram na mesa dando as cartas, foram infelizes, não percebiam que existia outro lado, e que o grande pecado é não renovar o pensamento e dirigentes das fundações a cada período, e que alguns dirigentes   tinham visão apenas de um lado! Hoje, sabem e estão aprendendo que a moeda tem dois lados.

Poucos perceberam, mas a grande metamorfose cultural da cidade ocorreu em dezembro de 2014 e rende frutos até hoje. Foi preciso nascer a fórceps, mas mostrou que os desafios podem e devem ser encarados sempre em prol da instituição. A despersonalização tão esperada começa a aparecer em todos os níveis. Hoje temos uma visão institucional, em que ainda pese, existem dinossauros e politiqueiros, já em pequeno número.

Evidente que o Centro de Letras de Paranaguá cumpre seu papel, renascendo e formando um público novo, voltado para escolas, alunos e palestras de altíssimos níveis.

Escritores como Rogério Pereira, Gloria Kirinus, Rovedo, Marion Mugiatti,  mestres como Ernani Straube, Paulo Hapner, Amélia Correa, Francisco Coelho, Renato Carneiro,  Cris Bresser, Gilka Borges,  pesquisadores  como Geraldo Hostins, Igor, Ana Vanalli, Monica, Cavassim, Tereza Brito, Lucia Bezerra, Janelize, Fontana,Candiero, La Pastina, o poeta Luiz Arthur, e os muitos talentos de nossa cidade, entre eles Osmar da Luz, Vera, Jean, Abdul, Feltz, Katia Muniz, e uma gama de colaboradores do Brasil, fizeram com que o “Leôncio” fosse mais que um jornal cultural local ! Falamos de um dos maiores jornais culturais do interior do Brasil, que é de Paranaguá!

O “Cardume Fotográfico”, muito atuante e com qualidade impressionante, consegue trazer em suas caminhadas algo mais do que o “olhar fotográfico”, e comprova que existe renovação e geração sedenta por cultura e arte. O Cardume mostra a cidade como ela é! Mostra a cidade para o mundo. Com isso se aumenta a responsabilidade do Poder Público, e de todos os parnanguaras...

Domingo passado, sol e frio e a “Paranaguá Criativa” naquele céu azul, mostrando em seus embarques culturais, que existe espaço nobre a ser compartilhado! Que civilidade e tolerância caminham de mãos dadas.
Entre as atividades uma bela ajuda na limpeza da nossa orla, pais e filhos catando lixo, risos, alegria em fazer um pouco pela cidade, e constatar que embora na orla praticamente não exista local para depositar o lixo, aparecem galões improvisados, sacos de lixo em locais definidos, e sem nenhuma intervenção ou ajuda do Poder Público como patrocinador, mas aparecendo a figura do Poder Público fomentador, ainda tênue, mas nascendo.

O Parnanguarismo aos poucos deixa de ser o do discurso empolado, das juras de amor, mostras de orgulho, da fala decorada e aos poucos passa a ser transparente, lutador, com atitude, que certamente faz das mídias sociais uma avenida sem tamanho mensurável.    

Às vezes é preciso desligar da tomada, esperar e religar... Volta a funcionar!



Ivan Lapolli - Advogado e Vice-Presidente do Conselho de Letras de Paranaguá
www.facebook.com/ivan.lapollifilho

A publicação deste colunista não reflete, necessariamente, a opinião do portal Nosso Paraná.

Publicidade


Deixe o seu comentário