10/01/2018

De tão simples que a pergunta parece, não sei se há uma resposta fácil. Acho que a maioria das pessoas no exato momento em que gera um resíduo qualquer e opta por descartá-lo de forma inapropriada, no chão, nem sequer chega a perceber o que está fazendo. Age de uma forma que parece uma ação natural do ser humano, tipo bocejar, coçar o olho.

Realmente não consigo ter uma resposta exata para a razão desse comportamento. Me surpreende o contraste entre essa era dita moderna em que a maioria tem acesso a tecnologia, a informação etc., e a dificuldade de se corrigir algo tão simples. E não é caso de pensar que isso é coisa de quem não recebeu educação. Pessoas de todos os perfis fazem isso. Baixa renda, alta renda, brancos, negros, índios, padeiros, executivos, idosos, crianças. Diversos rankings publicados na internet apontam os locais mais sujos no mundo e há, desde cidades muito pobres, até o nosso querido Rio de Janeiro.

Como corrigir esse comportamento? Sim, educação é a via principal. Mas, por ser um comportamento tão simples de ser mudado e com tanta resistência, apostaria também em fiscalização e multas, como fez a própria cidade do Rio de Janeiro em 2013. E não adianta o cidadão usar o velho argumento de que não havia lata de lixo perto, pois basta apenas guardar o lixo até encontrar a lixeira mais próxima, afinal, nas nossas casas também não é comum ter lixeiras na sala.

Lembre-se, Educação vem de berço.


Tiago Ferreira é empresário, Bacharel em Administração de Empresas e apresentador do programa Papo de Alambrado no Portal Nosso Paraná 

A publicação deste colunista não reflete, necessariamente, a opinião do portal Nosso Paraná.


Deixe o seu comentário